s√°bado, 24 de junho de 2017

Livro Baudolino


Nome: Baudolino
Autor: Umberto Eco
Editora: Record
Ano/P√°ginas: 2001/460
Sinopse: skoob
Nota: ūüėĽūüėĽūüėĽ

Ol√° pessoas da internet, tudo bem com voc√™s? Era pra esse post ser liberado ontem (sexta, afinal, agora sexta √© dia de livros aqui), mas passei o dia fora e n√£o consegui passar a resenha do meu caderninho pra c√°. Mas quero saber, gostaram das novidades? Tomara que consiga dar conta hauahua Enfim, essa √© a terceira obra que leio do Umberto Eco e n√£o me arrependi de ter escolhido este livro para os desafios liter√°rios. As vezes nos falta ler obras mais pesadas e dif√≠ceis! Assim como a resenha anterior O √öltimo Reino, esta tamb√©m se passa da Idade M√©dia, assim o encaixei na categoria Romance de √Čpoca do Bingo Liter√°rio.

Toda a trama se passa mais ou menos durante os anos de 1150 e 1200. Baudolino está em Constantinopla e salva a vida de um rico cidadão local durante a invasão que a cidade está sofrendo. Este senhor o acolhe e decidem fugir da cidade, está sendo invadida, saqueada e queimada. Baudolino começa então a contar sua história de vida a este senhor, que é tipo um escritor, contador de histórias. Nosso herói já tem uma certa idade e chega a conclusão que quer a ajuda dele para por suas lembranças em ordem.

Sua vida de aventuras come√ßa de verdade quando ajuda um cavaleiro perdido perto do seu vilarejo (interior na It√°lia) a chegar ao seu acampamento. Ele o leva para passar a noite em sua casa. Gostando muito do garoto (Baudolino tinha uns 13/14 anos) resolve compr√°-lo dos pais, eles muito amorosos (s√≥ que n√£o) o vendem. Na manh√£ seguinte, Baudolino descobre que esse cara √© nada mais, nada menos que o imperador do sacro imp√©rio romano-germ√Ęnico, o rei Frederico I, o Barba Ruiva! O que Frederico mais gostou no menino era sua simplicidade e sinceridade, e por isso, al√©m de o tratar como filho, virou uma esp√©cie de conselheiro. O que ele n√£o sabia, era que Baudolino era extremamente mentiroso. No decorrer da rama, o pr√≥prio afirma que inventou todas as vis√Ķes que teve quando adolescente, vis√Ķes com santos, unic√≥rnios, revela√ß√Ķes celestes de que o imperador se daria bem...



Além de mentiroso, era muito inteligente, mesmo sem escolaridade, ouvindo estrangeiros falar, aprendia o idioma, assim, era um poliglota. No reino de Frederico, aprendeu a ler e escrever com os monges do rei e aqui começa sua maior aventura. Seu professor faleceu e no leito de morte lhe faz um apelo: que encontre o Preste João (padre) no extremo Oriente, assim o reinado de Frederico estaria a salvo. Chegando a vida adulta, foi estudar em Paris, quem sabe assim, esquece seu amor pela esposa do imperador. Só que não hauhauhau

"Mas não penses que te censuro. Se queres transformar-te num homem de letras, e quem sabe um dia escrever Histórias, deves também mentir, e inventar histórias, pois senão a tua História ficaria monótona. Mas terás de fazê-lo com moderação. O mundo condena os mentirosos que só sabem mentir, até mesmo sobre coisas mínimas, e premia os poetas que mentem apenas sobre coisas grandiosas."
Para ajudar o reino de seu pai, começa a por em pratica com seus amigos o que seu professor queria. Pesquisa sobre o Preste João e forja cartas que João teria escrito a Frederico, contando as maravilhas só existentes lá, seres mitológicos e maravilhosos e um presente que ele daria a Frederico caso fosse visitá-lo, dando a entender que seria o Santo Graal. Baudolino passou anos tentando convencer o rei a ir até João. Até que depois de muitas desventuras o imperador aceita. Ele nos apresenta a sua mais louca aventura!






Nicetas, que assim como n√≥s est√° escutando tudo isso, n√£o sabe dizer o que √© real e o que √© fic√ß√£o em toda a hist√≥ria de vida de Baudolino. E pra dizer a verdade, nem eu hauhaua O autor, como sempre mistura fatos reais com fic√ß√£o e no caso desse livro, fantasia. Sabe aqueles livros que a est√≥ria √© f√°cil de entender, mas o autor adora complicar? Conta coisas que n√£o precisaria? Esse √© assim. Demorou pra leitura fluir, s√≥ na segunda metade do livro. Ele te exige alta concentra√ß√£o, s√£o muitas informa√ß√Ķes, acontecimentos, reviravoltas e pra ajudar, se passa da Idade M√©dia hauhaua Se tu √© muito novinho, espere pra ler, leia com uns 20 e tantos anos. Eu com certeza preciso ler mais uma vez, assim como "O Nome da Rosa".

Não dei quatro gatos por essa dificuldade mesmo, e alguns detalhes, algumas palavras em latim e alemão (acho) não foram traduzidas e por ordem do autor. O livro é muito bom. Umberto Eco sendo Umberto Eco! Espero que tenham gostado dessa resenha e se tu gostar de Idade Média, tem alguns posts sobre isso. Vou deixar logo abaixo. Até a próxima o/





Acompanhe as redes sociais do blog:

3 coment√°rios:

  1. Oi, Nana! Que legal a indicação, eu não conhecia esse livro do Umberto Eco! Fiquei bem interessada, mesmo você falando que se trata de uma leitura mais arrastada e difícil. Adoro histórias antigas!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. apesar de gostar do autor tbm n√£o conhecia.
      tenta dar uma lida, é dificil mas vale a pena^^
      beijos

      Excluir
  2. Confesso que tenho um pouco de pé atrás com clássicos ou autores como Umberto Eco, Vitor Hugo e afins, mas a resenha é bacana e até rolou uma vontadezinha sim :)

    ResponderExcluir