domingo, 23 de julho de 2017

Projeto 30 Dias 22: Algo que sente falta

Olá pessoas da internet, tudo bem com vocês? Comigo tudo bem, esses últimos dias tem sido um pouco cansativos, começamos a arrumar as coisas da casa em caixas pra mudança. Sim, vamos nos mudar de apartamento, o preço desse está acima do mercado e não estamos podendo pagar, mas vocês verão o novo apartamento, é bem mais em conta, mas é bem grande. Até por isso darei umas sumidas da internet. Vou continuar atualizando o blog conforme o calendário e o instagram pretendo atualizar todos os dias, mas nada é certo, sabem como é! 

Dando continuidade ao Desafio 30 Dias do grupo Café com Blog, hoje falarei sobre algo que sinto falta e mais uma vez decidi o que falar nesse exato momento hahaha Um tema mais complicado que o outro! Cheguei a conclusão que sinto falta da minha infância e adolescência. Não fui uma criança sem problemas, feliz e tranquila. Acho que ninguém é assim, a vida de ninguém é fácil! Tive muitos problemas quando mais nova e não gostaria de passar por eles de novo, mas a vida de adulto é uma bosta! O maior problema é o dinheiro.

Quando criança, tu depende dos teus pais, eles que te vestem e te alimentam. Tuas preocupações são sobreviver a escola e aguentar a rabugice dos pais. Em casa não se pode fazer muita coisa, brincar na rua não dá, qualquer coisa te mata, e em casa não pode ficar no chão que suja as roupas, não pode ver muita tv, não pode ficar muito no computador, os pais não tem muita grana pra ti dar brinquedos legais, resumindo, tu não pode fazer quase nada. Na escola é uma tortura, os professores são meio carrascos mesmo, poucos se salvam! Os colegas te avacalham até não poder mais! Eu odiava a escola!!! Era uma tortura mesmo ter que assistir as aulas e uma vitória quando chegava em casa sem esmurrar a porta do armário (escondida é claro!). O que me salvava nisso eram as amigas. Deixavam o clima mais leve e agradável. Tanto na escola como fora dela. 

Mesmo a escola sendo horrível, sinto falta dessa época, não da escola, mas de quando tinha a idade escolar. Na vida adulta, não pense não que as pessoas não te zoam, a diferença é que na escola se não vão com a tua cara eles riem dela, fazem caricaturas escrotas de ti (sim, fizeram isso comigo, no desenho eu era uma galinha e todos os garotos da sala acharam a maior graça. esse foi um dia em que esmurrei muito o armário), dizem que tu é o mais feio da sala e coisas do tipo. Mas na vida adulta, se a pessoa não vai com a tua cara ela não te dá um emprego. Olha que bonito! Só que é com emprego que tu ganha dinheiro e compra comida! Acaba que é bem pior né?! 

Sinto falta de só precisar existir. Meu papel era passar de ano e só. Hoje, como adulta, preciso trabalhar, por que sem dinheiro, nem amor dura. Os relacionamentos se desgastam por causa do estresse. Sem contar que mesmo sem dinheiro, tem que estar sempre linda! =D Não que na adolescência não tivesse isso, mas a gente sabe que todo adolescente é meio cagado hauhauhau Se fica doente? Vai quase morrendo mesmo pro trabalho. Afinal, as contas não se pagam sozinhas, elas não vão esperar tu ficar bom. Na escola não tem grandes problemas, justifica as faltas e pega a matéria com um colega. 

Saudades de ter poucas responsabilidades!


Acompanhe as redes sociais do blog:

  

sábado, 22 de julho de 2017

Livro Mitorégia - O Mistério do Unicórnio




Nome: Mitorégia - O Mistério do Unicórnio
Autor: Rodrigo Roddick
Editora: Selo Jovem
Ano/Páginas: 2016/294
Sinopse: skoob
Nota: 😻😻😻

Olá pessoas da internet, tudo bem com vocês? Comigo está tudo bem. Antes de falar sobre a resenha de hoje, quero avisar que a partir de hoje (dia 22 de julho) estarei em processo de mudança. Vamos nos mudar para outro apartamento e receberemos as chaves na primeira semana de agosto, então ficarei nessa função e meio fora da internet. Como sempre, tentarei manter o blog dentro do calendário e continuo querendo participar do BEDA. Vou tentar adiantar o que der!!! Justamente por causa da mudança viajei quinta e não deixei o post de ontem pronto (que era esse aqui). 

O livro de hoje, O Mistério do Unicórnio é do recente parceiro literário Rodrigo Roddick e espero trazer a entrevista com ele logo. Recebi o livro com dedicatória especial pra mim e um marcador, meu primeiro marcador, acreditam?! Este é o primeiro da saga Mitorégia e os próximos logo serão lançados, o segundo ainda esse ano. O Mistério do Unicórnio entra de cabeça no Universo criado pelo Rodrigo, que é enorme e cheio de raças como humanos, elfos, fadas, anjos, ogros e muitos mais, e nem por isso é apenas um livro introdutório, muita coisa acontece e temos algumas reviravoltas.




Mitorégia é um continente separado por vários reinos e habitado por várias raças que vivem em parte em harmonia. O mago mais poderoso, Abeo Moldrus, teve uma visão que um ser muito poderoso iria assolar o lugar, mas nessa visão também estava o salvador, o Cavaleiro Alado. Nosso herói, o Cavaleiro Alado, o anjo Edheriel vai para Mitorégia e lá descobre sua importância. Ele e mais alguns guerreiros e elementais (uma espécie de mago que controla os elementos: água, fogo, terra e ar) saem na missão de fechar o portal que de lá saem monstros como lobisomens, vampiros, zumbis e outros. É aqui que entra o unicórnio hahaha Sim, em Mitorégia existem unicórnios \o/

"Observei muitos reinos na viagem que fiz e descobri que muitas raças existiam em Mitorégia. Elfos, sereias, gnomos, fadas, dragões, centauros, unicórnios, anões e muitas outras pareciam compreender o que era viver em harmonia entre si o ambiente. A única raça que ignorava essa convivência era a humana."





Temos mais um grupo "passeando" por Mitorégia. Este segundo está atras do nosso herói. Fada, humano, gnomo, elfo e ogro (espero não estar esquecendo de ninguém hahaha) se aventuram em busca do Cavaleiro Alado. Um dos integrantes veio de outro continente e sabia da profecia envolvendo Edheriel e que todo o planeta corria perigo. Além de tudo isso, temos alguns capítulos que contam a história do O Pensador, um personagem que sofreu muito quando jovem, mas que parece ter um futuro cheio de surpresas. É muita coisa acontecendo! hauhauah

"Naquela época, eu tinha nove anos e ainda me lembrava dos recentes acontecimentos. Assisti minha vila, lugar onde cresci, ser incendiada, os campos destruídos e as pessoas mortas. Fugi assustado ao ver meu pai, minha mãe e irmã serem assassinados. Mas quando os mestres começaram a cuidar de nós, tudo isso foi esquecido. Não por mim. Meus três colegas esqueceram, mas eu não. Nunca esqueci o que aconteceu. Sempre que fechava os olhos, as cenas que vivi voltavam na minha mente. Todavia isso não me travou para o mundo."


dedicatória 💜

No livro encontramos muita ação, aventura e várias lutas com direito a espadas, flechas e muita magia. Um livro de fantasia com tudo o que o tema fantástico aborda. Me senti num jogo de MMORPG, tem tudo: raças diferentes, missões que levam os personagens de um canto a outro do mapa, arqueiros e magos (meus preferidos) jogando magias e encovando elementos sempre que preciso, tem até healer (curador) e é claro, o boss do jogo hauhauahua Quem gosta de RPG de fantasia vai adorar o livro. Além de todo o RPG, o livro tem muitas críticas a nossa sociedade, amor livre (LGBT), amizade, traição e inveja. Uma estória muito complexa e cheia de personagens. Só não dei 4 gatos pois com tanta coisa acontecendo fiquei confusa em alguns momentos, é aquele tipo de livro que o bom é reler depois de um tempo pra conseguir assimilar tudo!

"- Sou curioso. Gosto de saber sobre as coisas. Como é magia?
- É ter um poder vivo pulsante que o transforma em corpo-espaço. Significa que as transformações que imagina não apenas ocorre em seu corpo, mas atinge o âmbito espacial."

tricerátopo achando que é unicórnio 



Estou ansiosa para os próximos livros e saber o que acontecerá com Mitorégia e se seus habitantes se unirão aos dos outros continentes contra o mal maior que está por vir. Me digam nos comentários se gostaram da resenha de hoje. Pra quem se interessou e quer adquirir o livro, está por um preço bem bacana na loja da Selo Jovem, mas também é encontrado nas maiores lojas online do país, incluindo Amazon. Pra saber das novidades da saga, siga Mundo Paladino no facebook e @mundo.paladino no instagram. Até a próxima o/

Acompanhe as redes sociais do blog:

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Batons Toffee e Fuchsia da Mary Kay


Olá pessoas da internet, tudo bem com vocês? Espero que esteja tudo ótimo. Hoje trago resenha de batom, fazia tempo que não fazia uma resenha de batom e aqui estamos nós. Quero ver se consigo trazer com mais frequência, tipo uma vez no mês. Dessa vez são batons da Mary Kay, o Toffee, um nude rosadinho e o Fuchsia, um roxo escuro. Ambos são cremosos e hidratantes. Custam R$ 39,90.  


Toffee


Vocês verão na foto abaixo que ele tem um leve rosado, mas é um nude e é quase a cor natural dos meus lábios, se ele fosse mate, me enganaria hahaha A única coisa que não gostei é que ele é cremoso de mais. Fica aquele aspecto brilhoso e meio molhado quando o cabelo bate nos lábios fica grudado sabe?! Pois é, não gosto disso, por isso que não uso gloss! Quanto a durabilidade achei muito boa. Fiz dois lanches e janta a noite. Mesmo sendo quase da dor dos meus lábios, dá pra ver que ainda tem um pouco na borda deles. Confere aqui abaixo: 





Fuchsia



Neste fica mais claro como ele é cremoso. Eles também são bem pigmentados, rápido pega a cor nos lábios. Minha "reclamação" é a mesma do anterior. Como fica "peguento", acabo que uso bem menos do que gostaria. Fiquei com este um pouco mais que o anterior, 15 minutos a mais e gostei da duração. Nesse dia não jantei, mas comi várias vezes no dia. Baixou muito a temperatura o que fez meus lábios ficarem bem mais secos.



Quero saber de vocês se já usaram algumas dessas cores ou se tem curiosidade. Tem resenha do Really Red, um vermelho muuuito vermelho hahaha Lembrando que segunda tivemos resenha do esmalte Solta o Som da ColorTrend. Até a próxima o/


Acompanhe as redes sociais do blog: